Giverny - Jardins que inspiraram Claude Monet

Giverny - Jardins que inspiraram Claude Monet

Em 1883, Monet mudou-se para Giverny, localizado a 80 km a oeste de Paris-França, a 4 km da cidade de Vernon. Em sua propriedade em Giverny, Monet tinha um jardim magnífico e as árvores frutíferas. Quando em flor, oferece vistas encantadoras que o inspiraram para suas pinturas. Neste mesmo jardim há até hoje um lago e uma pequena ponte japonesa, que originaram a série “Nenúfares”. Estas obras fizeram muito sucesso na época. Era o reconhecimento tardio de um gênio da pintura. Hoje em dia todo o trabalho de Monet é mundialmente reconhecido e enaltecido. Giverny não mudou muito ao longo das décadas e aqui vão algumas fotos: 

 23    24

 

 25    26

 

 27    28

 

 29    30



Seu jardim tem duas partes: um jardim de flores denominado Clos Normand em frente à casa e um jardim aquático japonês que fica do outro lado da estrada. Os dois jardins são contrastantes e complementam um ao outro. O Clos Normand de aproximadamente um hectare, foi transformado por Monet num jardim cheio de perspectivas, simetrias e cores. O jardim aquático fica num terreno comprado por Monet em 1893, 10 anos depois de sua chegada à Giverny. Este terreno é cortado por um pequeno riacho, o Ru, que é um afluente do Epte, por sua vez um afluente do Sena. Com o apoio da Prefeitura, Monet logo construiu ali uma lagoa para plantas aquáticas, ainda que isso tenha sido motivo de reclamações da vizinhança que achava que as plantas poderiam envenenar a água.
 

 31    32

boletim