Oliveiras, Azeitonas e Azeites

Oliveiras, Azeitonas e Azeites


Nome Científico: Olea europea
Família: Oleaceae

 Sua origem dá-se na era Terciária, período anterior ao aparecimento do Homem, na Síria e na Palestina. Atualmente Portugal produz 37% da produção da União Europeia, a Espanha produz 36%, a Itália 14% e a Grécia 10%. O Brasil importa de Portugal 40% do azeite que consome.
azeitona1
 

Características:
- tem vida muito longa. Em Portugal existem oliveiras com mais de 1000 anos, e uma específica da região de Sintra com aproximadamente 2850 anos.
- uma oliveira de 50 anos é uma árvore muito valiosa em termos paisagísticos, pois, além de bonita, atribui-se a ela a qualidade de trazer bons fluidos para o local onde está plantada.
- a oliveira é rentável comercialmente, produzindo frutos dos 10 aos 150 anos de idade.
- é uma árvore de folhas perenes, isto é, durante todo o ano a oliveira preserva o mesmo número de folhas.
- as suas folhas são consideradas medicinais, pois são ricas em nutrientes como o potássio, magnésio, manganês, fósforo, cobre e zinco. Apresentam alta concentração de ácidos graxos, fibra alimentar, proteínas, minerais e antioxidantes.

. 

 

azeitona2

Esta oliveira fica em Santa Iria de Azóia, Concelho de Loures, próximo a Sintra, Portugal. Tem 2850 anos de idade, conforme o seu certificado abaixo.

O Azeite
O azeite de oliva é o óleo extraído das azeitonas, frutos da oliveira.
A palavra “azeite” provém do vocábulo árabe “az-zait”, que significa sumo da azeitona. Os fenícios, sírios e armênios foram os primeiros povos a consumir o azeite. Foram os gregos e romanos que levaram o azeite para a Europa e para o Ocidente. Por séculos o azeite ficou restrito aos povos do Mediterrâneo. Foi no século 16 apenas, que os espanhóis introduziram o azeite na América Latina, e no século 18 nos Estados Unidos.

 Tipos e variedades:
Cada país cultiva a variedade de oliveira melhor adaptada ao clima, temperatura e solo. Há três tipos de azeites de acordo com suas características e sabor, de sua acidez e do seu processo extrativo:

Extravirgem – obtido através da extração por processo de prensagem mecânica das azeitonas. De aroma e sabor impecáveis, apresenta menos de 0,8% de acidez e melhor qualidade.
Virgem – também obtido através da extração por processo de prensagem mecânica das azeitonas. Sabor e aroma marcantes, mas com acidez entre 0,8% a 2%.
Azeite Puro – também denominado “azeite de oliva”. Não alcança nenhum sabor perfeito e contém grau elevado de acidez, e é submetido a processo de refino. Este azeite não se comercializa como é, mas sim como uma mescla com azeites de oliva virgens comestíveis.

Produção do Azeite:
A colheita das olivas, também chamada de apanha, pode ser manual ou mecânica, feita no inverno. As azeitonas frescas são levadas ao lagar, isto é, lugar próprio para a extração do azeite, e são lavadas e moídas. A pasta resultante desta moagem é prensada. O produto deste processo mecânico é o azeite virgem, que será ainda filtrado e depois estará pronto para consumo.

 

 O azeite é melhor quando consumido jovem, pois o tempo não melhora as suas qualidades. Se bem acondicionado, pode conservar-se sem alterações por até 24 meses depois da extração. Os melhores recipientes são os de vidro escuro ou de aço inoxidável, sempre armazenados em local fresco e sem luz, longe de fornos de qualquer tipo e de coisas que exalam aromas fortes para evitar que o mesmo os absorva. O azeite solidifica se exposto a temperaturas baixas, mas de volta à temperatura ambiente se liquefaz, sem perder as qualidades iniciais.


No Brasil

 O Brasil é o sétimo maior importador mundial de azeite de oliva e o segundo de azeitonas. Mais recentemente o Brasil também passou a cultivar oliveiras. A EPAMIG, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais é pioneira nas pesquisas sobre a oliveira desde 1986, especialmente na seleção de variedades mais adequadas às condições brasileiras de clima e na produção de mudas de qualidade. As pesquisas estão concentradas na Fazenda Experimental de Maria da Fé, uma pequena cidade do sul de Minas Gerais. Em fevereiro de 2008 foi realizada a primeira extração de azeite de oliva em terras brasileiras, azeite extravirgem, com índices de acidez entre 0,3% a 0,7%.
A partir de 2008 o produtor Newton Litwinski passou a produzir azeite extravirgem no município de Delfim Moreira, sul de Minas, comparável aos melhores do mundo e com a vantagem de ser orgânico. Iniciaram-se também safras em Santa Catarina.

Azeite e Saúde
 O azeite de oliva possui várias substâncias benéficas à saúde. Previne e trata muitas doenças:
Arteriosclerose, trombose, diabetes, doenças biliares, pele (efeito protetor e tonificante), câncer (mama, próstata e trato digestivo).
Além disto, sua ingestão reduz o nível do mau colesterol - o LDL, reduz o risco de infarto e AVC (acidente vascular cerebral) e contém vitamina E – poderoso antioxidante.
Trabalho de pesquisa feito por Lucinda Mariza de Souza Pinto do Grupo Samambaias


azeitona3

boletim